Trocas dão errado, Inter sucumbe até para lanterna e deve mudar de novo
20/09/2016 09:39 em Esporte

Trocas dão errado, Inter sucumbe até para lanterna e deve mudar de novo

Celso Roth indica nova troca de formação após não ter encontrado "equilíbrio" em derrota por 1 a 0 para o lanterna América-MG, que mantém Colorado no Z-4

Parece até filme repetido: o Inter patina em sua saga para escapar do primeiro rebaixamento de sua história, e Celso Roth volta a procurar equilíbrio para o time como forma de estancar a crise. Após prometer, e alterar, o esquema de jogo, o treinador viu sua equipe ser batida por 1 a 0 pelo lanterna América-MG, em noite trágica no Independência. Com mais um revés na conta, passa a repensar, uma vez mais, sua formação inicial.

O discurso é semelhante ao apregoado pelo técnico após a derrota por 1 a 0 para o Vitória, na última quinta-feira, na rodada anterior, dadas as dificuldades de seus comandados no Beira-Rio. Depois de repetir a formação pela quarta vez – salvo baixas pontuais –, Roth prometeu mudanças e as concretizou com um sistema recheado de cautela diante do Coelho. E o resultado foi ainda menos animador.

Por mais equilíbrio e solidez defensiva, o Colorado entrou em campo na segunda-feira com uma trinca de volantes no meio-campo. Anselmo foi a grande surpresa no setor ao ingressar na vaga de Seijas – Eduardo Henrique era o mais cotado para a vaga –, com Valdívia como válvula de escape, mas que não funcionou. No ataque, Eduardo Sasha foi o escolhido no lugar do badalado Nico López, principal reforço da equipe na temporada.

– Fizemos (as trocas) procurando o equilíbrio. Tivemos enquanto os volantes estavam em campo. Depois, levamos o gol. Temos o jogo contra o Fortaleza e a possibilidade de pensar numa outra formação de equipe. Quando acharmos, espero que não demore muito. O grande segredo é achar o encaixe de time o mais rápido possível. Ainda não conseguimos – avaliou o treinador no Independência.

A estratégia indicava uma equipe segura defensivamente e com velocidade ao sair no contra-ataque, com Sasha e Valdívia apoiados pelos laterais, que foram liberados para subir. O que se viu em campo, porém, foi um Inter que sucumbiu contra o América-MG (veja os números na tabela abaixo). O Coelho encontrou o gol da vitória aos 45 do segundo tempo, com Michael, quando Roth já havia aberto mão do novo esquema, com as entradas de Seijas e Nico López.

– Foi uma má atuação. A equipe não conseguiu ter equação, não conseguiu se encontrar. Marcou de alguma maneira, mas depois esgaçou. No final, ficou mais vulnerável ainda, com as alterações que foram feitas, com a saída do Anselmo da frente da área. Não temos jogado bem ultimamente. A posição na tabela é adequada à nossa situação. Não estamos jogando bem e por isso estamos nessa situação. Mas repito: não vamos jogar a toalha – comentou o vice de futebol Fernando Carvalho.

Resta agora saber qual será a nova ideia de jogo de Celso Roth na ingrata luta contra o Z-4. Até o momento, o treinador indica um time diferente aos últimos. Antes, fez o básico: mais ofensivo, com dois volantes, dois meias e dois atacantes. Depois, tentou com três volantes. Nenhum correspondeu à expectativa. O treinador garante que há opções no grupo para uma nova guinada no Brasileirão.

Após a derrota para o América-MG, o Inter ainda amarga a 18ª colocação, no Z-4, com 27 pontos. A equipe terá uma pausa no Brasileirão e busca a reabilitação contra o Fortaleza, às 19h15 de quinta-feira, no Castelão, no jogo da volta das oitavas da copa do Brasil – na ida, a equipe de Celso Roth venceu por 3 a 0. Depois, tem pela frente o Atlético-MG, novamente no Independência, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, às 18h30 do domingo.

Crédito: Globo Esporte

COMENTÁRIOS